O que é marketing sensorial e como aplicar

O que é marketing sensorial? Exemplos!

Quanto mais refinado e exigente se torna o consumidor, mais ousadas e inovadoras precisam ser as estratégias de marketing para atraí-los. Nesse aspecto, o marketing sensorial está se popularizando como uma ferramenta capaz de proporcionar uma experiência de marca única ao consumidor. Mas como?

A seguir vamos entender o que é o marketing sensorial e como as empresas estão aplicando essa técnica em suas estratégias visando cativar cada vez mais o público.

O que é marketing sensorial

Como o nome sugere, o marketing sensorial é uma área que visa estimular os sentidos humanos e, dessa forma, deixar no usuário uma percepção positiva e duradoura da marca. A estratégia escolhe um ou mais sentidos – tato, olfato, audição, visão e paladar – para proporcionar uma experiência única ao público.

O marketing sensorial busca trabalhar com a subjetividade, ou seja, marcar o consumidor de uma maneira profunda e que não remeta, pelo menos não diretamente, à venda explícita. Você terá contato com a marca, mas não sentirá que teve seu campo pessoal invadido por ela, tudo isso porque a subjetividade foi trabalhada suavemente.

Algumas empresas realizam estratégias de marketing sensorial sazonalmente com todo o público, já outras escolhem parcelas do público para proporcionar a eles esse contato diferente e mais íntimo com a marca. 

Muitas organizações aplicam o marketing sensorial em suas lojas, por exemplo, se atentando ao ambiente como um todo, ao odor do local, aos aspectos visuais, à música ambiente, ao conforto e por aí vai. Outras marcas usam o conceito para proporcionar ao cliente experiências que ele não estava esperando, mas que o marcarão positivamente.

Use os 5 sentidos a favor da sua marca

Você sabe como o marketing sensorial pode trabalhar cada um dos sentidos? Confira abaixo algumas dicas:

Olfato: esse é um dos sentidos que as marcas mais gostam de trabalhar em campanhas de marketing sensorial. O motivo é simples: o olfato é um sentido excelente para a construção de memórias associadas a aromas. Dessa maneira, a loja (ou o produto) podem ficar gravados no inconsciente do público por muito tempo.

Tato: é difícil explorar o tato no marketing digital, mas ele pode ser bastante trabalho em pontos físicos.

Paladar: outro sentido bastante explorado por pontos físicos, o paladar pode ser estimulado por meio do oferecimento de água, café, suco, lanchinhos, balas e amostra grátis de produtos para degustação (prática amplamente usada em supermercados).

Visão: essencial, a visão é o primeiro sentido usado pela maioria dos clientes quando entram em uma loja ou abrem um site. Causar uma boa impressão é fundamental pois isso vai determinar a disposição do usuário para aceitar melhor o que você tem a oferecer. Pelo menos no marketing, aparência importa!

Audição: a audição também é poderosa quando o assunto é criar e despertar memórias. Para ilustrar como a audição pode ser usada numa campanha de marketing sensorial, veja a seguir o case de sucesso da marca Ricardo Almeida.

Usar o marketing sensorial para atrair clientes é uma maneira inteligente de se destacar. (Foto: Unsplash)
Usar o marketing sensorial para atrair clientes é uma maneira inteligente de se destacar. (Foto: Unsplash)

Estudo de caso: Ricardo Almeida

Um exemplo interessante, e relativamente simples, de marketing sensorial foi aplicado pela marca de roupas Ricardo Almeida em sua campanha de dia dos namorados, a “Criando Memórias”. Por meio de uma parceria com o Spotify, a marca permitia que qualquer pessoa que acessasse o site para comprar um produto Ricardo Almeida para presentear, pudesse enviar junto duas músicas que fossem marcante para o casal.

Para colocar a estratégia em prática, a Ricardo Almeida imprimiu um código no cartão de presente que, ao ser escaneado pela câmera do smartphone, reproduz as canções especialmente escolhidas pela pessoa que está presenteando. Indo além, a marca inclui as canções em uma playlist exclusiva para que o casal escute juntos e possa criar novas memórias

 A ação Criando Memórias foi desenvolvida em parceria com a agência In House e é um exemplo simples de como trabalhar os sentidos dos clientes para além da publicidade tradicional pode deixar impressões positivas que ecoarão por bastante tempo.

Numa estratégia simples mas bem pensada, a marca Ricardo Almeida usou conceitos do marketing sensorial para marcar positivamente seu público.
Numa estratégia simples mas bem pensada, a marca Ricardo Almeida usou conceitos do marketing sensorial para marcar positivamente seu público.

Utilidades do marketing sensorial

Além de criar vínculos emocionais com o consumidor, o marketing sensorial ainda permite que a marca convide o cliente a explorar o produto além do óbvio. Também é uma estratégia interessante para estimular a venda de uma maneira suave e não agressiva. 

O marketing sensorial também pode ser uma importante ferramenta para posicionar positivamente uma marca que ainda está tentando se estabelecer. Por fim, traçar estratégias que aguçam os sentidos do consumidor acaba posicionando a marca como inovadora e referência em seu setor, algo que toda organização anseia.

Um comentário sobre “O que é marketing sensorial? Exemplos!

Deixe uma resposta