saiba como funciona o novo Twitter Shopping

Twitter Shopping: rede social lança ferramenta de venda diretamente pelo app

Conheça o Twitter Shopping, novidade da rede social que vai permitir a exibição de ofertas de produtos e a compra diretamente na plataforma!

Seguindo a tendência de outras redes sociais como Facebook, Instagram e WhatsApp, o Twitter está testando uma ferramenta que vai facilitar a vida de perfis comerciais que querem vender diretamente na rede social.

Com o nome de Twitter Shopping, a função vai exibir um carrossel de ofertas no alto dos perfis comerciais. Ao clicar na oferta que o interessar, o aplicativo vai abrir a página do produto no site da loja sem sair da rede social, algo semelhante ao que acontece no Instagram.

Por enquanto, a novidade está sendo testada em perfis comerciais nos Estados Unidos. O país será o primeiro a usar o Twitter Shopping, que deve chegar aos demais países em breve. Entenda detalhes da novidade a seguir!

O que é o Twitter Shopping?

Twitter Shopping é a nova função do Twitter que vai permitir que donos de contas comerciais anunciem produtos no alto de seus perfis. Aliás, o conceito de “conta comercial” também é novo na rede social, e chega como parte das novidades visando deixar a plataforma mais amigável para o comércio eletrônico

A disposição do carrossel de anúncios será como é mostrado na imagem abaixo: 

O Twitter Shopping vai permitir a exibição de anúncios de ofertas no topo dos perfis comerciais.
O Twitter Shopping vai permitir a exibição de anúncios de ofertas no topo dos perfis comerciais.

Os perfis comerciais no Twitter começaram a ser testados no primeiro semestre de 2021. Eles permitem que empresas, ONGs, pequenos vendedores e criadores de conteúdo que comercializam produtos exibam informações sobre seus negócios diretamente em seus perfis. Tais informações incluem endereço, número de telefone, horário de funcionamento e site da loja virtual.

Para acessar as configurações dos anúncios exibidos, o usuário precisará de uma dessas contas comerciais (ou converter sua conta para um perfil comercial). Então ele deve ir nas configurações de conta e procurar a opção “The Shop Module” (Modo Loja).

Quando tornar a função aberta para todos, o Twitter dará mais explicações de como funcionará essa opção e o que será possível fazer nela. Por hora, a possibilidade de criar anúncios e vender diretamente no Twitter Shopping anima milhares de lojistas que possuem perfis na plataforma.

Como funciona hoje em dia?

Perfis que querem anunciar no Twitter tem essa opção. Mas o máximo que a rede entrega hoje em dia são tuítes patrocinados, que podem levar para o site da loja. Uma opção que exiba as ofertas diretamente na rede social e permita que o usuário clique e receba mais informações sem precisar sair do Twitter ainda não existia. 

O Twitter Shopping chega em um momento muito oportuno. O e-commerce vem crescendo consideravelmente no Brasil e no mundo, especialmente nesse período de pandemia. a tendência é que o setor continue muito forte mesmo com o fim das restrições. 

Segundo dados da Neotrust, o e-commerce brasileiro registrou R$ 74,7 bilhões em vendas no primeiro semestre de 2021. O número é 37,6% maior do que o observado no mesmo período em 2020 (R$54,3 bilhões), que já era recorde.

Quando analisamos um ano inteiro, os dados são ainda mais impressionantes. De acordo com o índice Mastercard SpendingPulse, métrica que rastreia as vendas do varejo nacional, o crescimento do e-commerce no Brasil foi de 75% entre janeiro e dezembro de 2020, em comparação a 2019.

Sendo assim, é de se esperar que a chegada do Twitter Shopping seja muito bem recebida pelo público brasileiro. 

A rede social espera entender se o calor do momento e as discussões em tempo real (dois fatores base do Twitter) são capazes de influenciar as pessoas na compra de produtos. 

Ainda não ficou claro se a rede social vai cobrar algum tipo de taxa em alguma parte do processo. Mas, pelo menos a princípio, a criação de contas comerciais será gratuita.

Vamos aguardar a chegada do Twitter Shopping ao Brasil e acompanhar como será a adesão da ferramenta pelo público brasileiro. 

Deixe uma resposta