Facebook esta trabalhando em seu proprio Clubhouse

Facebook está desenvolvendo seu próprio Clubhouse

O Clubhouse é a rede social do momento. Exclusivo para convidados e usuários de iPhone, o aplicativo viu o interesse do público disparar em questão de semanas. Agora, o Facebook quer surfar nessa onda e criar uma funcionalidade idêntica a do Clubhouse, porém mais inclusiva e aberta a usuários de todos os sistemas mobile.

A notícia foi dada pelo renomado jornal americano The New York Times, que disse em artigo que a ordem para que os desenvolvedores trabalhem em uma versão facebookiana do Clubhouse partiu do alto escalão da maior rede social do mundo.

A seguir, você confere os detalhes do que já sabemos sobre a nova funcionalidade do Facebook. Vamos lá?

Clubhouse no Facebook: o que já sabemos?

Todo mundo que trabalha com marketing sabe que o gatilho da exclusividade é um dos mais poderosos que existem. O fato de o Clubhouse estar disponível apenas para usuários de iPhone (pequena parcela global) e que tenham recebido convite fez com que o interesse pelo app disparasse a níveis surreais.

Só para se ter uma ideia, as buscas no Google pelo termo Clubhouse saltaram 525% entre 30 de janeiro e 6 de fevereiro, se comparado à semana anterior.

Mas, se por um lado a exclusividade do ClubHouse ajudou, e muito, a trazer o app aos holofotes, por outro também escancarou seu caráter excludente – um prato cheio para a concorrência.

De olho tanto no crescimento de um concorrente em potencial quanto na oportunidade de mercado que apareceu, o Facebook já deu ordens para que os desenvolvedores da rede trabalhem em uma versão muito parecida com o Clubhouse, mas acessível a todos.

Em artigo publicado no The New York Times, o jornalista Mike Isaac conversou com duas fontes internas (e anônimas) do Facebook que confirmaram que a rede comandada pelo CEO Mark Zuckerberg está trabalhando em seu próprio Clubhouse. Um trecho do artigo diz:

“Os executivos do Facebook ordenaram aos funcionários que criem um produto semelhante [ao Clubhouse], disseram as pessoas, que não foram autorizadas a falar publicamente. O produto está nos estágios iniciais de desenvolvimento”.

Oficialmente, o Facebook nem nega e nem confirma a informação. Ao New York Times foi enviada a seguinte nota:

“Há muitos anos conectamos pessoas por meio de tecnologias de áudio e vídeo e estamos sempre explorando novas maneiras de melhorar essa experiência para as pessoas”, disse Emilie Haskell, porta-voz do Facebook.

Vale lembrar que o Facebook adota uma estratégia bastante agressiva em relação à concorrência. Quando não consegue comprar os concorrentes (como fez com o Instagram), a rede social mais poderosa do mundo se apressa para lançar clones de funcionalidades concorrentes (os stories, cópia da rede social SnapChat).

Portanto, não é de se admirar que uma função idêntica ao Clubhouse chegue ao Facebook muito em breve.

De olho na concorrência e no mercado de usuários de Android, o Facebook está trabalhando em sua própria versão do Clubhouse. (Foto: Unsplash)
De olho na concorrência e no mercado de usuários de Android, o Facebook está trabalhando em sua própria versão do Clubhouse. (Foto: Unsplash)

Como funcionará a versão Clubhouse do Facebook?

Por hora, o que sabemos é que o aplicativo que baterá de frente com o Clubhouse será integrado ao Facebook. Portanto, será necessário possuir uma conta na rede social para usar a funcionalidade.

Além disso, o app será aberto a todos os usuários – tanto de Android quanto IOS – o que expande absurdamente o alcance da ferramenta.

Oficialmente, o Clubhouse já declarou que está trabalhando em sua versão para Android, mas não deu data de quando o aplicativo chegará ao mercado.

Com a notícia de que o Facebook vai entrar na briga, é muito provável que estejamos testemunhando uma corrida contra o tempo para ver quem vai abocanhar os usuários Android primeiro.

Vale lembrar que, de acordo com o relatório Data Is Beautiful, de 2019, os aparelhos ativos com Android representavam quase 40% do mercado global (contra 17% dos aparelhos IOS).

No Brasil, país onde os aparelhos iPhone custam muito mais caro do que os populares de outras marcas, a diferença é ainda mais gritante: 90% dos aparelhos ativos no país usam o sistema Android!

Os dados revelam o tamanho do mercado que está em disputa. Vamos aguardar as cenas dos próximos episódios!

Leia também: Saiba como vai funcionar a lixeira do Instagram

Deixe uma resposta