E-commerce e marketplace são duas maneiras de vender na internet

Quais as diferenças entre e-commerce e marketplace?

Cada vez mais negócios estão se virtualizando e usando o ambiente digital para chegar a mais clientes. Com a pandemia, esse processo se intensificou consideravelmente. Para muitos empreendedores, este pode ser um universo completamente novo. Daí surgem questões como: quais as diferenças entre e-commerce e marketplace?

Só para se ter uma ideia do boom que o setor de e-commerce vive no Brasil, dados do indicador SpendingPulse/MasterCard mostram que o setor de comércio eletrônico registrou crescimento de 87% no país em 2020 em comparação ao mesmo período do ano passado

A seguir, você vai entender as diferenças entre e-commerce e marketplace e perceber que é bastante fácil compreender o que caracteriza cada uma dessas modalidades de venda na internet.

📌 Leia também: Checklist completo de como vender no Instagram

Quais as diferenças entre e-commerce e marketplace?

É muito simples entender as diferenças entre e-commerce e marketplace. E-commerce significa comércio eletrônico. Trata-se de uma loja virtual que comercializa produtos na internet. Portanto, se você possui um site onde vende seus produtos, possui um e-commerce. 

Já o marketplace é um conceito um pouco mais complexo. Trata-se de um grande portal onde diversas lojas podem comercializar seus produtos usando a estrutura deste portal. A Amazon, por exemplo, é um marketplace. 

Ao criar uma conta em um marketplace você terá que pagar uma porcentagem ao proprietário do marketplace. Em contrapartida, terá diversas vantagens, tais como:

  • Infraestrutura pronta
  • Bastante visibilidade
  • Suporte e treinamentos
  • Serviço de vendas acoplado a diversos meios de pagamentos
  • O lojista recebe o valor integral mesmo em compras parceladas

Usar marketplaces pode ser muito vantajoso porque é bastante simples. Mesmo com pouco conhecimento sobre comércio eletrônico, o lojista consegue cadastrar os seus produtos e começar a vender para todo o Brasil.

Por outro lado, no e-commerce você tem mais liberdade para conduzir e personalizar a sua loja da maneira como desejar. Além disso, dependendo do marketplace escolhido, podem haver algumas limitações quanto a produtos comercializados.

Sabe quais são os principais marketplaces do Brasil? A seguir, você vai descobrir!

E-commerce e marketplace são duas maneiras de vender na internet. Qual delas escolher depende da sua estratégia.
E-commerce e marketplace são duas maneiras de vender na internet. Qual delas escolher depende da sua estratégia.

Quais os principais marketplaces do Brasil?

Marketplaces são verdadeiros shoppings, com lojas de todos os cantos e vendendo os mais diversos tipos de produtos. É por isso que esses portais de compras costumam ser democráticos e aceitar lojas de todos os tipos. 

Alguns dos maiores marketplaces do Brasil são:

  • Amazon
  • Mercado Livre
  • Netshoes
  • Submarino (pertencente ao grupo B2W)
  • Americanas (pertencente ao grupo B2W)
  • Shoptime (pertencente ao grupo B2W)
  • Dafiti
  • Magazine Luiza
  • Carrefour 

Nesses marketplaces, o cadastro é gratuito e você paga apenas pelos produtos que vende. A cada produto vendido, uma comissão é paga ao marketplace. A porcentagem varia de acordo com a plataforma escolhida.

Leia também: 10 sites para fazer curso de marketing digital online e grátis

Como abrir um e-commerce?

A maneira mais fácil de abrir um ecommerce hoje em dia é por meio de uma plataforma de e-commerce. Essas plataformas possuem interface amigável e simples de usar, facilitando a construção de sua loja virtual.

Existem dezenas de opções de plataformas de e-commerce no mercado. Apenas para citar algumas: Tray, Nuvemshop, Loja Integrada, WordPress, Woocommerce e Shopify. 

Essas plataformas geralmente operam da seguinte maneira: você contrata um plano mensal que dá direito a algumas ferramentas e também paga uma porcentagem por cada venda realizada na plataforma. 

É muito importante que você pesquise bastante as opções disponíveis até escolher a plataforma de e-commerce ideal. Muitas delas oferecem diversas ferramentas, mas que talvez não sejam úteis para o seu negócio.

👉 Uma dica é fazer uma lista com todas as funcionalidades que você considera necessárias para sua loja virtual e também estabelecer um limite de orçamento para a contratação da mesma. Com essas informações em mãos, fica mais fácil filtrar as opções que atendem às suas necessidades.  

O Sebrae possui um curso online e gratuito para ajudar o empreendedor a colocar o seu e-commerce no ar.
O Sebrae possui um curso online e gratuito para ajudar o empreendedor a colocar o seu e-commerce no ar. Confira o link no final desde artigo.

Ecommerce e marketplace: qual a melhor opção?

Muitos lojistas começam a vender na internet usando seu próprio e-commerce e, em um segundo momento, expandem o negócio para marketplaces. Outros preferem começar em um marketplace e, à medida que o negócio cresce, abrir suas próprias lojas virtuais.

Não tem certo e nem errado. A decisão ideal varia de acordo com cada negócio e com a análise do mercado no qual ele está inserido. A recomendação é: antes de iniciar um negócio, faça o Plano de Negócios.

💡 O Sebrae (Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas) possui um curso online e gratuito para ajudar empreendedores a ingressar no universo do e-commerce. Planeje-se para o comércio eletrônico possui 3 horas de duração e oferece certificação após a conclusão.

Ficou clara a diferença entre e-commerce e marketplace? Espero que sim! Lembre-se de fazer o seu plano de negócios e fazer o curso rápido do Sebrae antes de se jogar no universo do e-commerce. 

Quanto mais preparado você estiver para iniciar suas vendas, melhor para a prosperidade do seu negócio.

Leia também: Conheça os cursos gratuitos oferecidos pelo Google

Deixe uma resposta