Storytelling como essa técnica pode mudar a sua maneira de se comunicar com o público

Storytelling: a técnica que pode mudar a maneira de cativar seu público

Já ouviu falar em storytelling? Se você é produtor de conteúdo e ainda não conhece, está na hora de conhecer. Mais do que isso, é hora de aplicar! A técnica de storytelling pode ser o fator decisivo entre criar conteúdo aleatoriamente e realmente se conectar a seu público.

A seguir vamos conversar sobre o conceito de storytelling e de Jornada do Herói. A seguir, vamos entender como essas duas teorias podem ser úteis para sua estratégia de comunicação. Vamos lá?

O que é storytelling?

O termo storytelling vem do inglês. É a junção das palavras “story” (história) e “telling” (contar). Storytelling é a arte de contar histórias. Mas não de qualquer jeito. É preciso contar as história de uma maneira que marque quem as vê, fazendo com que a audiência se conecte emocionalmente com a mensagem.

O storytelling é uma técnica vinda do cinema e que foi rapidamente incorporada pela comunicação e pelo marketing pela efetividade com que ela funciona. Justamente por ter origem no audiovisual, o storytelling é aplicado seguindo uma mesma lógica aplicável a qualquer roteiro.

De onde surgiu o storytelling? A técnica veio de uma teoria chamada Jornada do Herói, criada na década de 1940 pelo escritor Joseph CampBell, especialista em mitologia.

Depois que você conhece a teoria da Jornada do Herói e o conceito de storytelling, percebe que a maioria das grandes histórias de heróis da ficção seguem a mesma estrutura narrativa.
Depois que você conhece a teoria da Jornada do Herói e o conceito de storytelling, percebe que a maioria das grandes histórias de heróis da ficção seguem a mesma estrutura narrativa.

A jornada do herói

Em 1949, o professor acadêmico e escritor americano Joseph Campbell publicaria aquela que seria sua maior obra e que marcaria para sempre a maneira como contamos histórias: O Herói de Mil Faces. No livro, Campbell explica que, após estudar mitologia e centenas de histórias de diversos períodos, percebeu que havia uma fórmula para contar grandes histórias. A essa fórmula ele deu o nome de Jornada do Herói.

A jornada do Herói é um círculo de doze etapas que, juntas, preenchem praticamente todos os requisitos para contar uma história atraente e envolvente. Não vou me estender contando toda a teoria. Para entender a jornada completa, sugiro esse artigo da Rock Content.

De modo resumido, a jornada do herói diz que o protagonista da história é uma pessoa comum que recebe um chamado do além, nega esse chamado mas depois acaba aceitando seu destino. Então ela parte rumo a uma aventura épica, cheia de aventuras e provações. Ao longo dessa jornada, o herói conta com a ajuda de um mentor e de alguns aliados, mas precisa lidar com inimigos. Por fim, se cumprir sua jornada e resistir às provações, ele chegará à recompensa e tirará uma lição valiosa de tudo o que passou.

”Jornada

Storytelling em seu conteúdo

Ao ler sobre a jornada do herói você certamente se lembrou de alguns filmes, séries ou livros, não é mesmo? Harry Potter, O Senhor dos Anéis, Procurando Nemo, Frozen… milhares e milhares de produções de sucesso usam a fórmula da jornada do herói para construir suas histórias. E deu certo! Os exemplos acima representam histórias marcantes com milhões de fãs que dizem ter tirado lições importantes de tais obras.

O que você, produtor de conteúdo, pode tirar de lição disso tudo? O storytelling, ou a arte de contar histórias, pode ser uma técnica poderosa para ajudar sua marca a ter mais do que clientes ou seguidores, mas sim fãs. Você terá muito mais chances de obter sucesso em seu trabalho de encantar pessoas se seguir pelo menos alguns princípios básicos extraídos da jornada do herói: definição do herói, jornada, mentor e lição.

Herói: o seu conteúdo precisa ter um protagonista, seja ele um personagem, um rosto dentro da empresa ou até mesmo a personificação da marca. É fundamental que esse herói desperte empatia, o que quer dizer que ele precisa ser “gente como a gente”. Para criar um herói que transborde empatia você precisa conhecer muito bem o público que quer atingir. Dá uma lida nesse artigo sobre personas, ele pode ajudar.

Jornada: quando estiver planejando um conteúdo, tente responder a pergunta: o que eu quero contar com esse material? Seu herói precisará estar envolvido em uma jornada, o que significa dizer que será necessário pensar no ambiente, no problema/conflito que precisa ser resolvido e por aí vai. 

Mentor: levando em consideração a teoria da jornada do herói, a sua marca ou o seu produto podem ser os mentores que ajudarão o herói na jornada rumo a um desfecho/objetivo.

Lição: depois que o herói cumpre sua jornada, ele precisará de um desfecho, ou seja, uma lição precisa ser tirada. É a conclusão do seu material. A lição da sua peça precisa ser marcante, mas para que isso aconteça, a construção do herói e da jornada precisa ser bem feita.

Uma boa comunicação baseada em storytelling precisa de mais do que apenas tocar o espectador. É necessário que aquilo ecoe nele por um tempo. Ele precisa tirar uma lição do seu material e, cá entre nós, é importante para a sua marca que a lição tirada pelo usuário remeta positivamente a ela.

Mas o que faz uma técnica tão antiga e tão usada como o storytelling ainda ser muito efetiva? A resposta é simples: a criatividade! Não se trata apenas de usar fórmulas de sucesso, é preciso tentar inovar na forma como você vai fazer isso. Essa é a parte mágica, e ao mesmo tempo difícil, para obter sucesso com o storytelling.

Em todo caso, entender a jornada do herói e estudar como ela vem sendo aplicada na cultura e na comunicação há décadas já é um passo importante para treinar seu cérebro a começar a contar histórias de uma maneira que atinja em cheio o emocional de seus seguidores.

Deixe uma resposta